Treinar sempre no mesmo ritmo: Varie a intensidade de cada treino e durante cada treino. Treinar sempre no mesmo ritmo é monótono e não cria adaptações no corpo, já que ele não recebe novos estímulos. Uma dica é planejar seus treinos com diferentes intensidades: um dia forte, um dia leve… Também não se esqueça dos intervalos.

Não descansar: o treino submete o corpo a uma carga para estimulá-lo e habituá-lo. Mas para haver essa assimilação, o corpo precisa descansar. Caso contrário, o cansaço contínuo fará com o que o corpo nunca se recupere. Se você acha que está pegando pesado demais, faça o teste: meça seu pulso em repouso (de manhã ou a noite). Se ele estiver com 10 batimentos a mais que o normal, isso é um sintoma de supertreinamento. Além disso, irritabilidade, mau humor, mal-estar, decadência, desequilíbrio no apetite e pouca vontade de pedalar podem ser outros sintomas do mesmo problema. Não se engane: você não fica mais rápido treinando, mas sim descansando! Durma o suficiente. Muitos órgãos e mecanismos hormonais são ativados enquanto você dorme e serão relevantes para o seu desempenho. Ou seja, dormir é muito, muito importante.

Treinar muito esporadicamente: Estudos sobre fisiologia do esporte concluem que são necessários pelo menos quatro dias na semana de treinamento para obter benefícios para melhorar o desempenho. Tente se exercitar um pouquinho todos os dias. Natação, corrida, aeróbica, musculação ou rolamento são boas atividades para complementar sua preparação e que não requerem mais de uma hora. Aproveite os dias de folga para treinar de bicicleta e os dias da semana para alternar com esses outros esportes.

Treinar apenas seus pontos fortes: é muito bom se aprimorar, mas é muito melhor ser um atleta completo. Tire um tempo para melhorar seus pontos fracos.

Tentar recuperar tempo perdido: Exceto os profissionais, a maioria de nós têm outras tarefas para lidar no dia-a-dia e às vezes o tempo não nos permite treinar o quanto gostaríamos! Se um dia você não conseguiu treinar … não culpe, isso é normal. Esqueça e deixe para lá. Não se concentre naquelas horas ou séries que você perdeu. Continue de onde parou e deixe o que ficou para lá.

Comer ou beber tardiamente: durante o treino, não espere ter fome ou sede para comer ou beber. Se for fome, é porque você esgotou seus estoques de glicogênio. Se estiver com sede, você está desidratado. O sinal de sede que seu corpo envia está atrasado e, uma vez perdido, é difícil de remediar. Uma dica é beber goles de água a cada 15 minutos e comer algo a cada hora. Energéticos são uma ótima opção, porque promovem a hidratação e contribuem para fornecer calorias.

Atitude negativa: tente ser o mais positivo possível e aprenda a superar frustrações. Lembre-se do seu objetivo. Tente não permitir que assuntos pessoais ou de trabalho interferiram no seu treinamento. O treino precisa ser um escape, um momento de alívio, e não de estresse. Se isso não estiver acontecendo, talvez você precise modificar algo no plano de treino.

Ser muito rigoroso: não deixe o treino se tornar uma obsessão para você. Se isso acontecer, treinar vai se tornar uma tortura.

Fonte: Revista Bicicleta