Experiências em análises mecânicas mostram que 90% do desconforto na região anterior do joelho se deve simplesmente ao selim ser muito baixo e, portanto, à falta de extensão da perna durante o pedal. Além disso, a flexão do joelho (quando o pedal está totalmente para cima) é excessiva. De fato, pedalar é a atividade física recomendada quando se sofre de algum tipo de lesão no joelho e, portanto, não faz muito sentido para um ciclista sentir desconforto no joelho. No entanto, se estivermos em uma má posição, aparecerão desconfortos que podem causar ferimentos se não os corrigirmos.

Manter o selim baixo é talvez o erro mais frequente em ciclistas que pedalam há pouco tempo. Isso, além de gerar desconforto no joelho, também impede o ciclista de desenvolver todo o poder que suas pernas podem gerar, ou seja, ele perde força. Com o selim muito baixo, a sensação de fadiga no quadríceps aumenta consideravelmente. Quando a altura estiver correta, devemos sentir fadiga geral, nunca isolada no quadríceps.

Nossa recomendação é que você suba o selim de 5 a 5 milímetros até perceber que o desconforto desaparece. Embora uma altura incorreta do selim seja o principal gerador de desconforto no joelho, não é necessário verificar se o alinhamento da presilha do pedal está correto. Para fazer isso, você só precisa verificar visualmente se a direção da presilha corresponde aproximadamente à da sapatilha. Você precisa sentir que a posição do calcanhar ao pedalar é o mais natural possível, ou seja, que o calcanhar não é forçado nem na manivela nem na parte externa.

Da mesma forma, as presilhas devem estar bem posicionadas em termos de ajuste longitudinal, ou seja, mais avançadas ou mais atrasadas, dependendo da posição do metatarso em relação ao eixo do pedal. Em geral, os grampos mais distantes tendem a gerar mais desconforto no joelho do que os grampos em posições mais atrasadas.

Fonte: https://www.mountainbike.es/entrenamiento-mtb/articulo/me-duelen-las-rodillas-podria-lesionarme