O isolamento social contribuiu para o aumento na compra de bicicletas. As bikes, além de um meio de transporte, se tornaram também uma possibilidade de fazer algum tipo de exercício físico durante o período de restrições sociais. Com o aumento no preço dos combustíveis, os amantes das pedaladas têm ainda mais um incentivos para usar as bikes na locomoção.

De acordo com a Folha de S.Paulo, o comércio desse tipo de equipamento sentiu o aumento da procura pouco depois de o isolamento ser decretado para conter a pandemia em 2020 e tem seguido em alta.

As empresas que fabricam e vendem bicicletas viram o faturamento aumentar 54% no ano passado na comparação com o ano anterior, conforme estudo realizado pelo Itaú Unibanco.

Vale lembrar que o Brasil é o quarto produtor mundial de bicicletas, com a fabricação anual de 2,5 milhões de unidades e frota nacional de 70 milhões de bikes.

Fonte: Istoé